News Image

Vegetarianismo na infância e adolescência: o que comer?

7 meses atrás

Ao contrário do que muitos pensam, o vegetarianismo não é uma prática recente. É, contudo, verdade que o número de vegetarianos tem vindo a aumentar em todas as faixas etárias. Dado o número crescente de praticantes, a Direção Geral da Saúde elaborou um manual de alimentação vegetariana para crianças e adolescentes, de modo a permitir um correto planeamento.

Em Portugal, nem todas as cantinas públicas têm opção vegetariana, como reivindica uma petição pública com milhares de assinaturas, mas já existe ainda assim um manual de alimentação vegetariana para crianças em idade escolar.

O documento foi elaborado pelo Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável/Direção-Geral de Saúde e tem como objetivo contribuir para o planeamento correto de um perfil alimentar vegetariano na criança e no adolescente, dados os riscos nutricionais de um programa mal planeado.

No que se refere à prática de um padrão alimentar vegetariano, a DGS diz-nos que, “para que seja saudável, deverá ser completo, devendo a escolha ser variada e equilibrada” e que, no caso da infância, é importante a monitorização do crescimento. Além disso, os pais e a comunidade educativa devem possuir as ferramentas necessárias para assegurar uma boa prática alimentar.

O vegetarianismo é caracterizado pela exclusão da carne, seja ela de mamíferos ou aves e de pescado, podendo ou não incluir ovos ou laticínios. Os motivos para adotar um padrão alimentar vegetariano podem ser muitos, designadamente de saúde, espirituais, religiosos ou ambientais.

Mas será que o vegetarianismo é apenas uma moda passageira? Pelo contrário, trata-se de uma prática milenar. Um dos seus mais acérrimos defensores foi Pitágoras, matemático e filósofo grego que viveu entre 570 e 490 a.C. Durante séculos, os vegetarianos eram designados por “pitagóricos”.

Em Portugal, a primeira Sociedade Vegetariana data de 1911. Três anos depois, já tinha três mil associados e publicava, inclusivamente, uma revista chamada “O Vegetariano”, com leitores em todo o mundo.

O grande impulsionador do vegetarianismo era um médico do Porto, Amílcar de Sousa, que defendia um “estilo de vida natural e saudável”.

Curiosidades:

- Em 1913, abriu, junto à Estação de São Bento, no Porto, o Grande Hotel Fruti-Vegetariano. Na mesma altura, estreou-se, em Lisboa, a Maison Vegétarienne. Em 1916, foi editado o primeiro livro português de receitas vegetarianas.

- A pecuária é responsável por 18% das emissões de gases com efeito de estufa

- Leonardo da Vinci, Mahatma Gandhi, Franz Kafka e Paulo MacCartney são nomes de vegetarianos famosos

- O vegetarianismo é diferente do veganismo, que exclui todos os produtos de origem animal, como por exemplo o mel.

- Calcula-se que haja cerca de 30 mil vegetarianos no nosso país